Notícias do Movimento Espírita

São Paulo, SP, sábado, 13 de fevereiro de 2016

Compiladas por Ismael Gobbo

Agradecemos àqueles que gentilmente repassam este email

Parcerias

 

ismaellogo copylogo_banner_rede_amigo_espirita

 

http://ismaelgobbo.blogspot.com.br/          http://www.redeamigoespirita.com.br/

 

 

Acessar aqui: http://www.noticiasespiritas.com.br/2016/FEVEREIRO/13-02-2016.htm

 

 

Editoração: Ismael Gobbo, São Paulo, SP.

Envio: Ismael Gobbo (SP) e Wilson Carvalho Júnior, Araçatuba (SP)

 

 

Notas

1. Recomendamos confirmar junto aos organizadores os eventos aqui divulgados. Podem ocorrer cancelamentos ou mudanças que nem sempre chegam ao nosso conhecimento.

2. Este e-mail é uma forma alternativa de divulgação de noticias, eventos, entrevistas e artigos espíritas. Recebemos as informações de fontes  diversas e fazemos o repasse aos destinatários de nossa lista de contatos. Trabalhamos com a expectativa de que as informações que nos chegam sejam absolutamente espíritas na forma como preconiza o codificador do Espiritismo, Allan Kardec.  Pedimos aos nossos diletos colaboradores que façam uma análise criteriosa e só nos remetam para divulgação matérias genuinamente espíritas.  O trabalho é totalmente gratuito e conta com ajuda de colaboradores voluntários (Ismael Gobbo).

 

 

Atenção

Se você tiver dificuldades em abrir o arquivo, recebê-lo incompleto ou cortado e fotos que não abrem, clique aqui:

   http://www.noticiasespiritas.com.br/2016/FEVEREIRO/13-02-2016.htm

 

No Blog onde é  postado diariamente:

   http://ismaelgobbo.blogspot.com.br/

 

Ou no Facebook:

   https://www.facebook.com/ismael.gobbo.1

 

 

 

Os últimos 5 emails enviados:

 

DATA                                        ACESSE CLICANDO NO LINK

 

12-02-2016     http://www.noticiasespiritas.com.br/2016/FEVEREIRO/12-02-2016.htm

11-02-2016     http://www.noticiasespiritas.com.br/2016/FEVEREIRO/11-02-2016.htm

10-02-2016     http://www.noticiasespiritas.com.br/2016/FEVEREIRO/10-02-2016.htm

09-02-2016     http://www.noticiasespiritas.com.br/2016/FEVEREIRO/09-02-2016.htm

08-02-2016     http://www.noticiasespiritas.com.br/2016/FEVEREIRO/08-02-2016.htm

 

 

 

 

 

Mensagem do dia

     

 

   

 

 

 

 

Mensagem do dia

 

 

Alegria de Viver

 

“(...) Nada mais belo do que um coração jubiloso irradiando o sol da alegria espiritual.

Estás no mundo para tornar-te melhor e fazeres que o mundo seja menos triste e mais rico de esperança.

Por menor que seja, faze da tua contribuição um hino de alegria e de respeito pela vida.

Jamais desprezes os acontecimentos que te convidam à mudança de comportamento para melhor.

Ninguém atinge as cumeadas de um monte sem conhecer as baixadas que os sustentam.

Realize a tua ascensão, tornando-te exemplo de alegria pelos incomparáveis dons de amar e de servir,  construindo a sociedade a que aspiras, sem esperar que o outro faça aquilo que te diz respeito.”

 

(Joanna de Ângelis / Divaldo P. Franco – Livro Nascente de Bênçãos, p. 104 – Editora LEAL)

 

 

Disenho: Fátima Oliveira

Mansão do Caminho - Salvador, Bahia, Brasil.

 

 

 

 

 

 

 

 

Mensaje para este día

 

 

Alegría de vivir

 

...Nada más bello que un corazón jubiloso que irradia el sol de la alegría espiritual.

Estás en el mundo para volverte mejor, y para que hagas al mundo menos melancólico y más rico en esperanza.

Por menor que sea, haz de tu contribución un himno de alegría y de respeto por la vida.

Jamás desprecies los acontecimientos que te invitan al cambio de comportamiento para mejor.

Nadie alcanza la cumbre de un monte si no conoce las planicies que lo sustentan.

Realiza tu ascensión, convirtiéndote en un ejemplo de alegría por tus incomparables dones de amar y de servir, edificando la sociedad a la cual aspiras, sin esperar que el otro haga aquello que te corresponde.

 

 

 

Joanna de Ângelis / Divaldo P. Franco

Libro Naciente de bendiciones

Editora LEAL

 

Creación: Fátima Oliveira

Mansión del Camino, Salvador, Bahia, Brasil.

 

 

 

 

 

(Recebido em email de tradutora MARTA GAZZANIGA [[email protected]], Buenos Aires, Argentina)

 

 

Publicação em sequência

O Livro dos Médiuns

 

 

 

 

 

...............................

.....................

................

 

....................................

.........................

.................

 

(Copiado de Febnet)

Cairbar Schutel em trabalho de Tiptologia.  Foto do acervo de O Clarim

 

Antoine-Joseph Jobert de Laballe (1799- 1867)

Imagem/fonte: https://fr.wikipedia.org/wiki/Antoine-Joseph_Jobert_de_Lamballe

 

 

Para o Reino de Deus

 

 

 

Pelo Espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Livro: Alma e Coração. Lição nº 12. Página 33.  

 

Certamente, Jesus esteve, está e estará sempre conosco, no levantamento do Reino de Deus, e por isso mesmo, urge reconhecer que, para isso, ele não nos reclama demonstrações de heroísmo ou espetáculos de grandeza.

Tudo em semelhante edificação é compreensível e simples, mas, por esta razão, o Mestre espera que as nossas tarefas compreensíveis e simples sejam cumpridas por nós, em regime de esforço máximo, a fim de que venhamos a colaborar na fundação da estrutura eterna.

Para que atinjamos, no mundo, o Reino de Deus, não nos pede o Senhor peregrinações de sacrifício a regiões particulares; espera, no entanto, que demonstremos coragem suficiente para viver, dia por dia, no exato cumprimento de nossos deveres, na viagem difícil da reencarnação.

Não exige nos diplomemos nos preceitos gramaticais do idioma em que desfrutamos agora o privilégio do entendimento mútuo; espera, porém, que saibamos dizer sempre a palavra equilibrada e reconfortante, em auxílio de nossos companheiros da humanidade.

Não nos obriga à renúncia dos bens terrenos; espera, todavia, que nos dediquemos a administrá-los sensatamente, empregando as sobras possíveis no socorro aos irmãos em penúria.

Não nos impele a ginásticas especiais para o desenvolvimento prematuro de forças físicas e psíquicas; espera, entretanto, que nos esforcemos por barrar os pensamentos infelizes, dominando as nossas tendências inferiores.

Não nos solicita a perfeição moral de um dia para outro; espera, contudo, que nos disponhamos a cooperar com ele, suportando injúrias e esquecendo-as, em favor do bem comum.

Não nos determina sistemas sacrificiais de alimentação ou processos de vida incompatíveis com as nossas necessidades justas e naturais; espera, porém, que tenhamos respeito ao corpo que a lei da reencarnação nos haja emprestado, guardando fidelidade invariável aos compromissos que assumimos, uns à frente dos outros.

Não nos aconselha o afastamento da vida social, sob o pretexto de preservarmos qualidades para a glória celeste; espera, no entanto, que exerçamos bondade e paciência, perdão e amor, no trato recíproco, a fim de que, a pouco e pouco, nos certifiquemos de que todos somos irmãos perante o mesmo Pai.

Jesus não nos pede o impossível; solicita-nos apenas a colaboração e trabalho na medida de nossas possibilidades humanas, cabendo-nos, porém, observar que, se todos aguardamos ansiosamente o mundo feliz de amanhã, é preciso lembrar que, assim como um edifício se levanta da base, o Reino de Deus começa de nós.

 

 

 

(Recebido em email do divulgador Antonio Sávio, de Belo Horizonte, MG)

Evento no Estádio de Wembley, Londres, Reino Unido. Foto Matheus Gobbo

 

 

 

 

Posição da AME-Brasil

 

Zika Vírus e o Aborto

 

 

 

Os que defendem a legalização do aborto encontraram na associação do aumento da microcefalia com o surto de zika vírus uma oportunidade para retomar a discussão da liberação do aborto no Brasil.

            Recentemente foi noticiado que grupo liderado pela Débora Diniz, do instituto de bioética Anis, prepara uma ação no STF para a liberação do aborto em casos de microcefalia. É o mesmo grupo que propôs a ação para interrupção da gravidez de anencéfalos, acatada pelo STF em 2012.

A bióloga e feminista Ilana Löwy, numa entrevista para a Revista ÉPOCA, vê no surto de zika vírus uma oportunidade para se debater o direito de decisão da mulher de ter ou não o bebê, como aconteceu com a epidemia de rubéola no Reino Unido. Interessante é que a Rubéola hoje em dia é uma doença totalmente controlável e passível de prevenção através da vacinação, deixando de ser um risco epidêmico, usado como justificativa para a liberação do aborto na Europa.

Os argumentos utilizados se baseiam na liberdade da mulher poder escolher o que é melhor para si, esquecendo que existe uma vida a qual se está negando o primeiro e mais fundamental dos direitos humanos, o direito à vida.

Cabe ressaltar que os fundamentos utilizados para liberar o aborto dos fetos anencéfalos não se aplicam nesses casos. 

O diagnóstico da microcefalia é tardio, em torno da 28ª semana, diferentemente da anencefalia, que é feito a partir da 12ª semana de gestação.

As lesões da microcefalia geralmente aparecem na ultrassonografia depois da 24ª e não são incompatíveis com vida, como nos casos de anencefalia.

Além disso, o diagnóstico ecográfico de lesão neurológica não é 100% seguro, já que depende da análise de um profissional passível de equívocos. Existem inúmeros relatos de erros em fetos com diagnóstico de mal-formações neurológicas e que nasceram perfeitamente normais.

No entanto, os que argumentam em favor do aborto querem transformar o diagnóstico de microcefalia em atestado de morte para todas as crianças das mães que contraíram o zika vírus e que optarem pela interrupção da gravidez, mesmo com possibilidades de nascerem normais ou com poucas sequelas neurológicas.

Com o avanço da medicina fetal e da genética médica, hoje é possível a detecção, ainda no útero, de várias anomalias fetais. Diversas técnicas como ultrassom morfológico, ultrassom de terceira dimensão, a biópsia de vilos coriais, a amniocentese, a cordocentese, o desenvolvimento da técnica citogenética molecular permitem o diagnóstico intrauterino de várias doenças. O diagnóstico permite iniciar o tratamento antes do nascimento, como cirurgias intrauterinas para correções de más-formações, assim como a preparação psicológica dos pais para o enfrentamento das graves anomalias.

Querer selecionar apenas as crianças saudáveis com direito à vida é retomar a prática da eugenia feita na Grécia antiga e pelo nazismo, abrindo um precedente para a liberação do aborto em outros casos de microcefalia como as causadas por hipóxia neonatal, desnutrição grave na gestação, fenilcetonúria materna, rubéola congênita na gravidez, toxoplasmose congênita na gravidez, infecção congênita por citomegalovírus ou em doenças genéticas como Síndrome de Down, Síndrome de Cornelia de Lange, Síndrome Cri du Chat, Síndrome de Rubinstein – Taybi, Síndrome de Seckel, Síndrome de Smith-Lemli–Opitz e Síndrome de Edwards.

Nesses casos pessoas como Ana Carolina Dias Cáceres, moradora de Campo Grande (MS), hoje com 24 anos e formada em jornalismo, e tantas outras crianças em situações parecidas, não teriam direito à vida.

Ao saber da iniciativa de alguns em defender o aborto de fetos com microcefalia, Ana Cáceres veio a público dar seu depoimento a BBC do Brasil em defesa dos portadores de microcefalia.

Nos casos microcefalia não se pode falar na opção de abortamento, pois não se trata de patologia letal que inviabilize a vida extrauterina. Embora as limitações que possam surgir, a expectativa de vida das crianças com microcefalia não são diferentes das outras crianças, exigindo, no entanto, estimulação e cuidados especiais para melhorar a sua qualidade de vida.

A discussão do aborto em casos de microcefalia retrata bem o momento pós-moderno em que vivemos, o que Bauman, um dos maiores pensadores da atualidade, chama de modernidade líquida. Na modernidade líquida os indivíduos não possuem mais padrões de referência, nem códigos sociais e culturais que lhes possibilitem, ao mesmo tempo, construir sua vida e se inserir dentro das condições de classe e cidadão. 

A modernidade líquida trouxe descentramento do homem, do sujeito, produzindo identidades híbridas, locais e globais, efêmeras sobre tudo. É a cultura do efêmero, da destruição criativa, “tudo que é sólido desmancha no ar” na imagem trazida por Berman.

Para a maioria dos autores, a pós-modernidade é marcada como a época das incertezas, das fragmentações, do narcisismo, da troca de valores, do vazio, do niilismo, da deserção, do imediatismo, da efemeridade, do hedonismo, da substituição da ética pela estética, da apatia, do consumo de sensações e do fim dos grandes discursos.

A educação recebida dos pais e das escolas, os valores morais que orientam as boas relações sociais, o fortalecimento da família e a busca do bem comum está perdendo espaço para novas formas de comportamento regidas pelas leis do mercado, do consumo e do espetáculo.

Existe uma crise de valores com perda de referenciais importantes em detrimento de uma vida superficial e de um discurso liberal.

Na sociedade pós-moderna predomina o ter acima do ser, o prazer pelo prazer, o prazer acima de tudo, a permissividade que justifica que tudo é bom desde que me sinta bem, o relativismo no qual não há nada absoluto, nada totalmente bom ou mau e as verdades são oscilantes, o consumismo, se vive para consumir, e o niilismo caracterizado pela subjetividade, a paixão pelo nada, numa indiferença assustadora.

Renata Araújo descreve muito bem o sujeito pós-moderno:

 

“A pós-modernidade nos apresenta um sujeito imediatista, fragmentado, narcisista, desiludido, ansioso, hedonista, deprimido, embora também informatizado, buscando independência, autonomia e defesa de seus direitos. Mas, a supervalorização e autonomia geram um individualismo, um egocentrismo, uma ênfase na subjetividade, sendo o outro apenas para a consecução de seus objetivos pessoais.” (ARAÚJO, p. 1 e 2)

 

Vive-se numa época de grande competitividade e de pouca solidariedade. Em nome dessa nova ideologia, os indivíduos se permitem agir passando por cima de valores fundamentais.

 A coisificação da vida e o predomínio dos interesses pessoais em detrimento do coletivo são bem característicos dessa fase em que vivemos.

Entretanto, aprendemos com a genética que a diversidade é a nossa maior riqueza coletiva. E o feto anômalo, mesmo o portador de grave deficiência, como é o caso da microcefalia, faz parte dessa diversidade. Deve ser, portanto, preservado e respeitado.

Necessário se faz proteger também a gestante, dando a ela apoio em sua gravidez e proporcionando tratamento ao seu futuro filho.

Reconhecemos que a mulher que gera um feto deficiente precisa de ajuda psicológica por longo tempo; constatamos, porém, que, na prática, esse direito não lhe é assegurado.

O aborto provocado é um procedimento traumático com repercussões gravíssimas para a saúde mental da mulher e que geralmente aparecem tardiamente.

O aborto produz um luto incluso devido à negação da ocorrência de uma morte real, mas esse aspecto é totalmente desconsiderado.

As mulheres sofrem uma perda e suas necessidades emocionais são relegadas ou escondidas. Elas não conseguem vivenciar o seu luto e lidar com a culpa. Esse processo vai gerar profundas marcas e favorecer o surgimento da Síndrome pós-aborto (PAS).

Psiquiatras e psicólogos especializados em atender mulheres que abortaram alertam para o aumento dos transtornos emocionais causados pelo aborto provocado. Eles afirmam que os efeitos psicológicos do aborto são extremamente variados e não são determinados pela educação recebida ou pelo credo religioso. Esclarecem que a reação psicológica ao aborto espontâneo e ao aborto involuntário é diferente, está relacionada com as características de cada um desses dois eventos. O aborto espontâneo é um evento imprevisto e involuntário, enquanto o aborto provocado interrompendo o desenvolvimento do embrião ou do feto e extraindo-o do útero materno contempla a responsabilidade consciente da mãe. As mulheres que se submeteram ao aborto afirmam que a culpa não é gerada de fora para dentro, infundida nelas por outras pessoas ou pela religião, ao contrário, ela surge e cresce em seu mundo íntimo a partir do ato abortivo.

Os problemas emocionais gerados pelo aborto são tão graves, que em muitos países onde ele é legalizado, foram criadas, pelas próprias mulheres vitimadas pelo aborto, associações como a Women Exploited by Abortion (Mulheres Exploradas pelo Aborto) nos EUA, e a Asociación de Víctimas del Aborto (Associação de Vítimas do Aborto) na Espanha, que orientam e alertam sobre as consequências prejudiciais do aborto.

O aborto não é definitivamente uma "solução fácil" como afirmam muitos, mas um grave problema, um ato agressivo que terá repercussões contínuas na vida da mulher.

As consequências danosas provocadas pelo aborto à saúde mental nos países onde ele foi legalizado é tão grave como a depressão profunda, que o Royal College of Psychiatrists (associação dos psiquiatras britânicos e irlandeses), alertaram que a mulher deve ser comunicada para os graves riscos emocionas que se submete caso opte pela interrupção da gravidez.

Portanto, aborto nunca será uma solução, sempre um lado ou ambos serão prejudicados. Não é dando a mulher autonomia para matar seu filho dentro de seu ventre que resolveremos os problemas sociais. Isto não passa de demagogia. É necessário investir na educação das massas para prevenção da gravidez indesejada, mas jamais matar uma criança inocente. Os fins não podem justificar os meios.

A sociedade que apela para o aborto declara-se falida em suas bases educacionais, porque dá guarida à violência no que ela tem de pior, que é a pena de morte para inocentes. Compromete, portanto, o seu projeto mais sagrado que é o da construção da paz.

A Associação Médico-Espírita do Brasil reitera seu posicionamento contra qualquer forma de violência a uma nova vida que não põe em risco a vida materna e que surge aguardando o auxílio de braços fortes e sensíveis que lhe ampare em sua fragilidade. 

Concitamos a todos os colegas das AMEs para continuarmos firmes em defesa da vida e da paz.

 

AME-Brasil

                                                               

REFERÊNCIAS

 

1) ARAÚJO, Renata Castro Branco. O Sofrimento Psíquico na Pós-Modernidade: Uma Discussão Acerca dos Sintomas Atuais na Clínica Psicológica. Trabalho de Conclusão do Curso de Pós-Graduação em Psicologia Clínica.  Disponível em: http://www.psicologia.pt/artigos/textos/TL0311.pdf Acessado em 09/02/2016.

 

2) BAUMAN, Zygmunt. Ética Pós-moderna. São Paulo: Paulus Ed., 1997.

 

3) BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

 

4) BAUMAN, Zygmunt. Tempos Líquidos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2007.

 

5) BAUMAN, Zygmunt. Cegueira Moral. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2014

 

6) BERMAN, Marshall. Tudo que é Sólido Desmancha no Ar. São Paulo: Schwarce ed., 1986.

 

7) CÁCERES, Ana Carolina Dias 'Existo porque minha mãe não optou pelo aborto', diz jornalista com microcefalia. Disponível em:

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/02/1735812-existo-porque-minha-mae-nao-optou-pelo-aborto-diz-jornalista-com-microcefalia.shtml Acessado em 09/02/2016.

 

8) LÖWI, Ilana. A rubéola levou à legalização do aborto no Reino Unido. O zika fará o mesmo no Brasil? Disponível em: http://epoca.globo.com/vida/noticia/2016/02/rubeola-levou-legalizacao-do-aborto-no-reino-unido-o-zika-fara-o-mesmo-no-brasil.html Acessado em 09/02/2016.

 

9) RAZZO, Francisco. Um novo nome para uma velha fantasia. Disponível em: http://www.gazetadopovo.com.br/opiniao/artigos/um-novo-nome-para-uma-velha-fantasia-86ax9r1xg929hkv6wv2iff9io Acessado em 09/02\/2016.

 

 

(Recebido em email de Giovana Campos)

 

 

Registro. Conferência por Divaldo Franco

 Itumbiara, GO

 

 

 

11/02/2016

 

 

As razões do sofrimento - Divaldo Franco

 

O teatro Maria Pires Perillo, da cidade de Itumbiara no estado de Goiás,

recebeu um público de 1000 pessoas para participarem do seminário As Razões

do Sofrimento Humano proferido pelo tribuno Divaldo Franco.

A partir do mito de Narciso símbolo maior da vaidade e do egoísmo,  Divaldo

foi elaborando um paralelo entre a narrativa da história e os conceitos

psicológicos da criatura humana, tais como o caráter transitório da beleza

física e de seu aprisionamento no mundo do amor por si próprio fixando sua

atenção na observação dos aspectos externos de si mesmo sem a preocupação do

autoconhecimento e também da possibilidade de conhecer os outros.

Da mitologia grega Divaldo busca na biografia e fatos do príncipe Siddhartha

Gautama.

A maneira alegre, despreocupada e prazerosa que vivia no Palácio onde o

príncipe se encontrava recluso em flagrante contraste com a vida além dos

muros do palácio.

De forma clara e bastante didática, Divaldo utiliza-se desse confronto de

situações para discorrer sobre a realidade  e ilusão.

Após ultrapassar os muros palacianos, o príncipe se depara com situações que

inexistiam na vida palaciana as quais ele não compreende. Constata a

existência do sofrimento em 3 níveis: o físico, o emocional e o psíquico.

A partir dessa experiência o príncipe Siddhartha busca encontrar na

meditação as causas dos sofrimentos e principalmente o remédio para

diminuí-los.

A partir desse ponto Divaldo passa a abordar a temática do sofrimento humano

baseado na Doutrina Espírita.

Utilizando-se de episódios e vivências pessoais, e com rara maestria,

Divaldo transforma um tema árido e pesado como o sofrimento em algo mais

simples e fácil de ser compreendido desanuviando e oferecendo a todos a

lógica inquestionável da Lei de Ação e Reação.

Divaldo proporcionou a todos, a oportunidade de escolhermos a sempre eficaz

alternativa da Realidade, mediante o reconhecimento dos nossos equívocos e

do enfrentamento das consequências dos nossos atos sem contudo desperdiçar

energia no desenvolvimento da culpa. A alternativa seria o subterfúgio de

fugirmos para o mundo enganoso e ineficaz da Ilusão.

 

   Texto: Djair de Souza Ribeiro

    Fotos: Sandra Patrocínio

 

(Texto em português recebido em email de Jorge Moehlecke)

 

 

 

 

LAS RAZONES DEL SUFRIMIENTO - DIVALDO FRANCO
Itumbiara, 11/02/2016.
 


      El teatro Maria Pires Perillo, de la ciudad de Itumbiara, en el Estado de Goiás, recibió a un público compuesto por unas 1000 personas, para que participaran del Seminario Las razones del sufrimiento humano, pronunciado por el orador Divaldo Franco.
      A partir del mito de Narciso, el mayor símbo de la vanidad y el egoísmo,  Divaldo fue planteando un paralelo entre la narración de la anécdota y algunos conceptos psicológicos inherentes a la criatura humana, tales como el carácter transitorio de la belleza física, y su aprisionamiento en el mundo del amor hacia ella misma, concentrando la atención en observar su aspecto externo, sin la preocupación por el autoconocimiento ni tampoco por la posibilidad de conocer a otros.
     De la mitología hindú Divaldo extrae la biografía y las anécdotas acerca del príncipe Siddhartha Gautama.
      De carácter alegre, despreocupado, el príncipe vivía complacido en el palacio donde se hallaba recluido, en evidente contraste con la vida que se desarrollaba más allá de los muros de su residencia.
      En forma clara y didática, Divaldo se vale de ese contraste de situaciones para explayarse acerca de la realidad y la ilusión. Luego de trasponer los muros del palacio, el príncipe se enfrenta con situaciones que no había conocido durante la vida palaciega, a las cuales no comprende. Constata la
existencia del sufrimiento, en tres niveles: el físico, el emocional y el psíquico.
      A partir de esa experiencia, el príncipe Siddhartha busca, mediante la
meditación, las causas de los sufrimientos y, principalmente, el remedio para aliviarlos.
      Luego, Divaldo aborda el tema del sufrimiento humano basado en la Doctrina Espírita. Recurriendo a anécdotas y experiencias personales, con su singular maestría, Divaldo transforma un tema árido y denso como lo es el sufrimiento, en algo más sencillo y de fácil comprensión, aclarando y brindando a todos la lógica incuestionable de la Ley de Acción y Reacción.
      Divaldo nos concedió la oportunidad de que escojamos la siempre eficaz alternativa de la realidad, mediante el reconocimiento de nuestras equivocaciones y afrontando las consecuencias de nuestros actos, sin desperdiciar energía en el desarrollo de la culpa. La alternativa sería el subterfugio de la huida hacia el mundo engañoso e ineficaz de la Ilusión.


  Texto: Djair de Souza Ribeiro
  Fotos: Sandra Patrocínio

 

(Texto em espanhol recebido em email da tradutora MARTA GAZZANIGA [[email protected]], Buenos Aires, Argentina)

 

 

 

 

 

Conferência com Juselma Maria Coelho no

Grupo Espírita Allan Kardec de Luxemburgo

 

Bonjour à tous,

 

Le Groupe Spirite Allan Kardec de Luxembourg  à le plaisir de vous  inviter  à sa conférence avec JUSELMA COELHO le vendredi 18 mars entre19:30 et 21:30 au Centre Sociétaire, 29 rue de Strasbourg. Luxembourg-Gare.

 

Fraternellement

Zelina P.

 

 

 

(Informação recebida em emails de nascimento zelina [[email protected]] e de Giovana Campos)

 

 

 

 

Programação da Sociedade Espírita André Luiz de

Tampa, EUA

 

 

Saturday - February 13th

 

Simone Neto

English Lecture

4:30PM, presentation with
Maurício Cisneiros, talking about
"Spiritual Contracts".

 

Alírio de Cerqueira Filho 

 

Simone Neto

 

Mini seminário, em Portugues,

de 6:00pm ate 8:00pm
com o tema,
“Saúde das Relações Familiares”.

 

 

Facebook

Website



(Informação recebida em email de Tampa Spiritist Society Andre Luiz [[email protected]]; em nome de; Tampa Spiritist Society Andre Luiz [[email protected]])

 

 

Programação do Núcleo Espírita Chico Xavier

Niterói, RJ

 

 



https://www.youtube.com/watch?v=BKUsME4a4mg

 

Núcleo Espírita Chico Xavier - NECX

Rua das Tainhas, nº 10

Jardim Imbuí - Piratininga - Niterói | RJ

Mapa de acesso

Site

 

 

(Informação recebida em email de [email protected]; em nome de; Núcleo Espírita Chico Xavier [[email protected]])

 

 

 

 

 

 

2ª. Edição do “Curso Doutrina Espírita para iniciantes 2016”

Barcelona, Espanha

 

2ª edición Curso Doctrina Espírita para principiantes 2016

 

 

 

 

¡Muy buenas tardes!

 

CEADS abre el período de inscripciones gratuitas de la 2ª edición del Curso Doctrina Espírita para principiantes, con inicio previsto el 4 de marzo.

 

El curso tiene una duración aproximada de 3 meses, será impartido cada viernes, y proponemos el horario de 18 a 19:30 horas pero podemos ajustar el horario según la disponibilidad de los asistentes.

 

[email protected] [email protected] en realizar el curso deben enviar, por correo electrónico,  su nombre y apellidos, teléfono, y si está de acuerdo con el horario* propuesto o indicar una nueva propuesta de horario, siempre los viernes, a [email protected]

 

Os adjunto el cartel y quedamos a la disposición para cualquier duda o aclaración.

 


 

Un saludo cordial

 

Centre Espírita Amalia Domingo Soler (CEADS)

Dept. Divulgación

Calle Ventura Plaza 15 – bajos - 08028 – Barcelona

Web: http://ceads.kardec.es/

Blog: http://amaliadsoler.blogspot.com.es/ 

Síguenos: https://www.facebook.com/ceadsbcn

Revista Visión Espírita: http://visionespiritaceads.blogspot.com.es/

Telf. contacto: +34 665 312 687

 

 

(Informação recebida em email de Giovana Campos)

 

 

 

 

Palestra no C.E. Francisco de Assis

Avanhandava, SP

 

​CENTRO  ESPIRITA FRANCISCO DE ASSIS

RUA TIBIRIÇÁ Nº 522 - AVANHANDAVA

 

 

CONVIDA A TODOS PARA ASSISTIREM A PALESTRA QUE A

 

 

ANGELA  MARIA  PAGAN.

DA CIDADE  DE

ARAÇATUBA .

 

FARÁ NESTA QUARTA-FEIRA DIA 17-02-2016

ÀS 20,00 HORAS

 

TEMA:

"  APRENDER  A  AMAR  "

 

 

(Informação recebida em emails de Luiz Antonio da Silva e de João Marchesi Neto)

 

 

 

Jornada de palestras com Suely Caldas Schubert

Santo André, Embú das Artes, Mauá, SP

 

 

(Informação recebida em email de Ademir Mendes)

 

 

 

Palestra e Seminário com Carlos Baccelli em

Araraquara, SP

 

Divulgação

O escritor espírita Carlos Baccelli

O médium e escritor espírita Carlos Baccelli estará em Araraquara nos dias 26 e 27 de fevereiro para ministrar palestra e seminário sobre Mediunidade. A entrada é gratuita. 

O primeiro encontro será na Casa de Fraternidade Chico Xavier, no Vale do Sol, no dia 26, a partir das 19h30, para uma palestra sobre habilidades mediúnicas. 

No dia seguite, Baccelli promove o seminário "Mediunidade e Médiuns nas obras 'Mecanismos da Mediunidade' e 'Domínios da Mediunidade', de Chico Xavier e André Luiz", no Auditório da Uniara, das 14h30 às 18 horas. A atividade terá apresentação do grupo Família com Jesus na abertura.

Carlos Baccelli é orador, escritor e dirigente espírita de renome no Brasil e no Exterior, é idealizador e fundador de instituições espíritas em Uberaba, entre elas o Grupo Espírita “Pão Nosso”, o Lar Espírita “Pedro e Paulo”, o Grupo Espírita “Irmão José” e “Casa do Caminho”, de amparo pessoas portadoras de HIV/Aids. 

Ele tem mais de 130 livros publicados, com destaque para as obras em parceira com Dr. Inácio Ferreira, Odilon Fernandes e Irmão José e títulos coassinados por Chico Xavier, com quem atuou no Grupo Espírita da Prece.

Bacelli é o diretor do Lar Espírita “Pedro e Paulo”, que abriga 30 idosos de ambos os sexos e onde ele mantém as atividades de psicografia aos sábados e domingos, atendendo a centenas de pessoas de toda a parte do País. 

O palestrante ainda pode ser ouvido no programa “Na Próxima Dimensão”, transmitido pela Rádio Boa Nova, de Guarulhos, às quintas-feiras, a partir das 13 horas.

A Casa de Fraternidade fica na rua João velosa do Amaral, 187, no Vale do Sol. Mais informações pelo site www.fraternidadechicoxavier.com.br ou através do e-mail [email protected]

(Informação recebida em email de Laurindo [[email protected]])

 

 

Palestra musicada com Allan Vilches no Joanna de Ângelis

Santo André, SP

 

 

(Informação recebida em email de Ademir Mendes)

 

 

 

Palestra musicada com Ricardo & Eduardo no Joanna de Ângelis

Santo André, SP

 

 

(Informação recebida em email de Ademir Mendes)

 

 

 

 

 

Boletim eletrônico da FEB

Brasília, DF

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Descadastre-se caso não queira receber mais e-mails.

 

(Recebido em email de [email protected]; em nome de; [email protected])

 

 

 

 

Informativo Elo Fraterno

Três Lagoas, MS

 

INFORMATIVO ELO FRATERNO PANORÂMICO 366

TRÊS LAGOAS/MS – 12 A 14/FEVEREIRO/2016

Envie eventos: [email protected]

EVENTOS DA SEMANA E FUTUROS VEJA EM: 

https://infopanespirita.wordpress.com/

 

(Com informações de Décio Bressanin)

 

 

 

O espanto com a morte!

 

 

Jô Andrade

www.clubedobem.net.br

 

 

Passei muitos anos com medo e receios da morte, a ponto de não querer nem comentar a respeito do assunto.

Presente ela está em nossa vida e em alguns anos ela apresentou-se crua e nua, no de repente, embora esta situação não exista, mas foi o sentimento que calou meu peito, levando minha mãe, logo após um irmão e mais adiante o pai. Num curto espaço de tempo, três pessoas se foram... ou voltaram para casa, depende o ponto de vista.

O medo já não fazia parte do cenário mental, porém instalou-se uma energia de dor por conta da saudade física, causada pela separação, que nunca soube medir.

O tempo encarrega-se de colocar um pouco de alívio em alguns momentos. Entretanto, em alguns outros a dor reaparece com intensidade mortífera.

O Espiritismo, através dos estudos particulares, nos faz entender com lógica que a morte faz parte do processo evolutivo das almas. Que o Espírito precisa estar ora encarnado, ora desencarnado para poder estudar, trabalhar, avaliar o seu percurso e identificar quais resultados atingiu e quais pontos terá que dedicar-se para aperfeiçoar e prosseguir em sua trajetória na direção da perfeição ao que é destinada.

E a vida prossegue seu curso normal moldurada pela imortalidade...

Recentemente fui abordada por duas senhoras, que se intitulam Espíritas, em idades avançadas e ambas demonstrando, pelos vários anos de amizades, perfeita comunhão com a Doutrina dos Imortais, mais estava espantadas com a morte de uma terceira amiga, de mais ou menos 68 anos de idade:

— Como isto foi acontecer? Foi tão de repente. Nunca imaginávamos que a amiga fosse embora tão rapidamente. Nunca se queixou de nada. Que loucura que é esta vida! Logo sou eu que vou embora.

Essas foram algumas das colocações espantosas das senhoras, frente ao retorno à Pátria Espiritual da nossa amiga.

Confesso que fiquei surpresa e meu espanto foi muito grande, não pela morte, pois já a reconheço como natural há muito tempo, mas pelas colocações de perturbação e de sobressalto das conhecidas... Espíritas

A morte, que é a cessação definitiva ou a ausência da vida física, representa renovação, retorno ao lar, pois aqui estamos fora de casa, visto que não somos do planeta Terra, retornamos à casa, no estado de erraticidade, pois ainda fica a necessidade de novas encarnações.

Com a morte ocorre a separação e que sem dúvida é doloridíssima. Como Espíritas, devemos aceitá-la como parte do processo natural da evolução dos seres, isto não quer dizer que quando ela ocorrer em nossa vida, não iremos sofrer. O que ofende a razão é acreditar que a morte acaba com tudo, que não teremos continuidade de existência e projetarmos aflição e revolta pelo ocorrido, afinal isso é sempre falta de confiança em Deus.

Se somos Espíritas, precisamos crer e demonstrar que confiamos no Criador e que se a morte existe, até por uma Lei Natural, sabemos que sofremos pela separação, mas acreditamos que a vida continua, que somos seres imortais e que TUDO está CERTO como está, afinal, morrer é partir antes.

 

Mausoléu de Cecília Metella, do séc. I a.C.,  naVia Apia, em Roma, Itália. Fotos Ismael Gobbo

 

 

 

 

 

Falando de sementes

 

 

Conta-se que, certa vez, um corvo pegou uma noz e levou-a para o topo de um alto campanário, uma torre de sinos.

Segurando-a com as patas, começou a bicá-la para abri-la. Porém, subitamente, a noz rolou para baixo e desapareceu numa fresta do muro.

Percebendo que estava livre do bico do corvo, ela suplicou:

Muro, meu bom muro, pelo amor de Deus, que foi tão bom para você, fazendo-o alto e forte, e enriquecendo-o com esses belos sinos de tão belo som, salve-me, tenha pena de mim!

Meu destino era cair entre os velhos ramos de meu pai, permanecer no rico solo coberto de folhas amarelas. Por favor, não me abandone!

Quando eu estava sendo atacada pelo terrível bico daquele corvo feroz, fiz um voto. Prometi que se Deus me permitisse escapar, eu passaria o resto de minha vida dentro de uma frestinha...

Os sinos, num doce murmúrio, avisaram o campanário que tomasse cuidado porque a noz podia ser perigosa. Afinal, era um corpo estranho em sua intimidade.

Entretanto, o muro decidiu abrigá-la, deixando-a ficar onde havia caído.

O tempo passou e a noz começou a abrir, depois estendeu suas raízes nas frestas da pedra.

Não passou muito tempo, as raízes forçaram caminho por entre os blocos de pedra e surgiram galhos que saíam pela fresta.

Os galhos cresceram, tornaram-se mais fortes e estenderam-se para o alto, acima do topo da torre. As raízes, grossas e enroscadas, começaram a fazer buracos nos muros, empurrando para fora todas as velhas pedras.

O muro percebeu, tarde demais, que a humildade da noz e seu voto de ficar escondida numa fresta não eram sinceros. E arrependeu-se de não ter dado ouvido aos sinos.

A nogueira continuou a crescer e o muro, o pobre muro, desmoronou e ruiu.

*   *   *

Em nossa vida, por vezes, aparecem algumas sementes que agem exatamente como a noz.

Parecem pequenas e inofensivas. No entanto, produzem grandes estragos.

Falamos da semente da fofoca, que instala a discórdia e pode provocar o desmoronamento de uma amizade.

Se for a semente do mau humor, vai estender as raízes da raiva e os galhos da irritação, que anda de braços dados com a violência.

O ciúme é uma pequena semente que, se alimentada pela desconfiança, irrigada pela insegurança e aquecida pelo orgulho impulsivo, faz desmoronar uma família inteira.

Entretanto, se aceitarmos na intimidade de nossos corações a semente da tolerância, veremos crescer a árvore da harmonia, que fará ruir os muros das separações afetivas.

Se acolhermos a semente do espírito de cooperação com o próximo, esta vai dar vida à frondosa árvore da fraternidade, podendo abrigar em sua sombra, os que caminham sob o sol das necessidades variadas.

Se permitirmos que a seleta semente do amor entre em nosso coração, por uma pequena fresta de boa vontade que seja, ela vai gerar tronco tão forte e galhos tão altos, que tocarão o céu, permitindo que os anjos da concórdia, da união fraterna, da paz, possam descer por seus galhos e, através de cada um de nós, possam servir ao próximo, em nome de Deus.

Há sementes e sementes. Nosso coração é um só. Cabe a cada um de nós selecionar a semente que deseja permitir se torne árvore frondosa.

Pensemos nisso e façamos a correta opção.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. A noz 
e o campanário, do livro Fábulas, de Leonardo da Vinci,
 ed. Melhoramentos.
Em 12.2.2016.

 

Planta  sobrevivendo incrustada na parede. Foto Ismael Gobbo

 

 

 

 

Em absoluto respeito à sua privacidade, caso não mais queira receber este boletim de notícias do movimento espírita, envie-nos um email solicitando a exclusão do seu endereço eletrônico de nossa lista. Nosso endereço: [email protected]