Notícias do Movimento Espírita

Araçatuba, SP, quarta-feira, 04 de abril de 2012

Compiladas por Ismael Gobbo

Agradecemos àqueles que gentilmente repassam este email

 

 

 

Nota 1

Recomendamos confirmar junto aos organizadores os eventos aqui divulgados. Podem ocorrer cancelamentos ou mudanças que nem sempre chegam ao nosso conhecimento.

 

 

 

Nota 2

Este email é uma forma alternativa de divulgação de noticias, eventos, entrevistas e artigos espíritas. Recebemos as informações de fontes  diversas e fazemos o repasse aos destinatários de nossa lista de contatos. Trabalhamos com a expectativa de que as informações que nos chegam sejam absolutamente espíritas na forma como preconiza o codificador do Espiritismo, Allan Kardec.  Pedimos aos nossos diletos colaboradores que façam uma análise criteriosa e só nos remetam para divulgação matérias genuinamente espíritas. (Ismael Gobbo)

 

 

 

 

Atenção

 

Se você tiver dificuldades em abrir o arquivo, recebê-lo incompleto ou cortado e fotos que não abrem, clique aqui: http://www.noticiasespiritas.com.br/2012/ABRIL/05-04-2012.htm

 

 

 

 

Homenagem a Jésus Gonçalves IV

 

Jésus Gonçalves, uma paixão

 

 

Jésus Gonçalves

Borebi, SP 12-7-1902/ (Pirapitingui) Itu, SP 16-2-1947

 

 

De repente, o seu pensamento “original” já não lhe pertence, o encontro parece reencontro, a ação programada é por outro antecipada e um estranho déjà vu lhe invade o imaginário.

O mundo parece igual e ao mesmo tempo novo. Telepatia? Coincidência? Inspiração? Memória coletiva? Consciência interior?

Será, mesmo, que a água só passa debaixo da ponte uma única vez?

Jésus Gonçalves tornou-se a primeira paixão “morta” de Eduardo Monteiro. “Vivas”, muitas outras já lhe ocupavam os dias, quando ele resolveu mergulhar no mundo daquela figura mítica e ao mesmo tempo tão pouco conhecida.

Com uma papelada imensa que ele chamava de livro, veio ter comigo em São Bernardo do Campo, quase às vésperas de um carnaval.

Seco e seguro da obra, ofereceu-a para publicação na editora então iniciada. Político, assegurou pretender meu prefácio.

A paixão é capaz de arroubos espetaculares, mas é, também, provedora de ilusões terríveis. Jésus Gonçalves brotava intenso daquele caos, como jamais havia ocorrido, justificando a grande e imorredoura admiração do autor e de milhares e milhares de leitores num futuro próximo.

Eduardo descobriu aquela existência submersa, percebeu a sua força e içou-a das águas turvas onde se encontrava, com uma convicção tal que não haveria no mundo alguém, jamais, capaz de barrar-lhe a vontade de torná-la pública.

Entendeu ter em mãos mais um “apóstolo da caridade” e engoliu em seco quando viu a expressão no título do livro substituída por “vida extraordinária” e a obra passar por uma reorganização que implicava costuras e supressões.

Três meses depois, porém, Eduardo exultaria: lançado, o livro “A extraordinária vida de Jésus Gonçalves” tornou-se o primeiro grande fenômeno de vendas da Editora Correio Fraterno do ABC, consumindo, em menos de um ano, duas edições de seis mil exemplares cada. E em pouco tempo, as  vendas ultrapassam a marca dos vinte mil livros.

Um autor estreante, uma obra sem grandes apelos literários num ambiente de terceiro setor. Qualquer entendido de mercado livreiro se surpreenderia com isso.

Que fatores contribuíram para tão grande sucesso?

Para compreender, necessário retornar ao final dos anos 70, início dos 80. Temos um espiritismo brasileiro marcado por lutas políticas internas e um grande apelo à assistência social, num país dominado por um governo militar ditatorial.

Grande parte dos novos adeptos surgia sob o signo da caridade e Eduardo Monteiro, filho da classe alta, atende ao apelo depois de vencer uma obsessão que o levou, inclusive, jovem, a Chico Xavier.

Seus caminhos se bifurcam e vão dar num sanatório hanseniano muito conhecido: Pirapitingui, localizado na região de Itu, interior de São Paulo. Desenvolve-se ali um trabalho assistencial intenso, e o principal grupo é liderado por Walter Venâncio, um pioneiro dessas atividades regulares no Sanatório de Pirapitingui.

Eduardo, ativo, bem relacionado socialmente, rude e humano como poucos, toma gosto por aqueles internos procrastinados e logo, logo, forma seu próprio grupo, abrindo-se para várias frentes de atuação.

O objetivo é dotar o sanatório de condições mais humanas, levando dignidade às almas ali internadas. Alimentos que suprem as necessidades do corpo, energias que atendem as necessidades do espírito, respeito pelas famílias, atividades culturais, lazer, assistência médica eficaz.

Em pouco tempo, porém, a luta se amplia no sentido de uma mudança cultural profunda da sociedade em relação aos leprosos. Era preciso banir esse termo milenar carregado de preconceitos e discriminação, dominante socialmente. Em seu lugar, hanseníase, mais leve, mais humano.

O projeto requer ações políticas, movimentos populares, intensificação das discussões nos veículos de comunicação de massa. Eduardo não vai medir esforços, nada vai deter sua disposição.

No Sanatório de Pirapitingui, a figura de um ex-interno ilustre vai crescer na mente de Eduardo e vai levá-lo a jogar-se de corpo e alma no resgate de sua existência: Jésus Goncalves. Eduardo vai descobrir o gosto pela pesquisa e Jésus Gonçalves vai alçá-lo Brasil afora nessa marcante atividade.

Eduardo descobre-o ali, mas ali está apenas uma parte de Jésus. As outras, muitas, precisa garimpar, peneirar e colocá-las à prova.

Então, Jésus era Jesus na certidão de nascimento, mas, por sua solicitação via mediunidade, muda-se a grafia para Jésus. Não desejava o espírito ser tomado pela figura maior do cristianismo.

Na Bahia de 1949, Jésus acabava de (re)fazer amizade com Divaldo Franco, num (re)encontro curioso e um pouco assustador para o jovem médium baiano. Jésus, “morto” pouco mais de dois anos antes, era desconhecido de Divaldo. Eduardo, no garimpo, os descobre.

Mas a viagem à memória pregressa está apenas começando.

Eduardo localiza Jésus não muito distante de Pirapitingui, mais precisamente em Borebi, sua cidade natal. Os pais, os irmãos, a orfandade precoce, o trabalho, o casamento, os filhos, a viuvez e a inteligência, tudo isso encontra espaço no papel do escritor, até que o escritor se depara com o seu biografado envolto no manto da moléstia mais temida: a lepra.

Eduardo segue-o, passo a passo, dia a dia, até Jésus ser apartado da sociedade e lançado, sem dó nem piedade, no espaço imundo e esquecido de um sanatório.

Eduardo acompanha sua revolta, sua niilização, sua desesperança completa. Mas tem tempo de continuar viajando para trás até descobrir respostas possíveis à desdita de uma alma fascinante.

Encontra Jésus em Alarico, o rei dos Visigodos, não uma, mas duas vezes. Encontra Jésus, ainda, em França, na pele do temível Richelieu, onde também está Divaldo Franco com outra indumentária física. Por fim, encontra-o desorientado no espaço sideral, lamentando os malfeitos e implorando por outra vida na Terra e uma dura prova: a lepra.

Jésus toma corpo cada vez mais frente ao seu escritor. E se revela extraordinário quando a “ocasionalidade” o faz mudar de pensamento frente à natureza e o mundo. A descrença é substituída pela esperança, a esperança reconstrói o caminho.

Aquela vida, que parecia despencar mais uma vez, reergue-se, para marcar de vez um novo destino. É aqui que seu valor se mostra por inteiro, mesmo que o tempo, implacável, lhe seja curto demais para tantos projetos.

Antes de deixar para trás o que lhe restava, ainda, de corpo físico, Jésus constrói uma obra admirável para melhorar a vida dos seus colegas igualmente segregados, lhes devolvendo um pouco da dignidade perdida.

Foi a paixão de Eduardo por Jésus Gonçalves que levou o autor a revelar este mundo fascinante de uma inteligência humana em provação extrema. E foi a coragem incomum de Jésus que comoveu os leitores, aquela massa humana imensa mergulhada na obra assistencial, fazendo do livro um admirável best seller.

O autor se foi; o personagem já, muito antes, havia ido. A obra, porém, continua comovendo, como um incentivo impagável, os corações ávidos de um sol cálido para os seus dias lentos e frios.

Wilson Garcia

Recife, PE

 

Capa original do livro

A Extraordinária Vida de

Jésus Gonçalves

Jésus Gonçalves, jovem

 

Ficheiro:Pirapitingui.jpg

Hospital Dr. Francisco R. Arantes. Tambem conhecido como Pirapitingui ou simplesmente “Pira”. Itú, SP

Foi um dos maiores leprosários do Brasil. Imagem: http://pt.wikipedia.org/wiki/Hospital_Dr._Francisco_Ribeiro_Arantes

 

 

 

Programação da Associação Parisiense de Estudos Espíritas

Paris, França

 

(Informação recebida em email de apes.asso@gmail.com; em nome de; Association Parisienne d'Etudes Spirites [mail@apes.asso.fr])

 

Jardim das Tulherias tendo ao fundo o “Dôme Les Invalides” e a Basílica de Santa Clotilde. Paris, França. Foto Ismael Gobbo

 

 

 

Programação do V Mês Espírita

Londres, Reino Unido

 

Querido(a)s Irmão(ã)s,

 

E com alegria que convidamos a todos a participar do V MÊS ESPIRITA em andamento, sob o Tema Central: AUTOENCONTRA Uma Proposta de Psicologia Profunda, conforme pôster convite anexo.

 

As informações dos diferentes eventos podem ser acessadas pelo link da website da Sociedade, sendo:

 

http://www.spiritistps.org/br/eventos/

 

Votos de Muita Paz.

 

The Spiritist Psychological Society

Registered Charity 1137238

www.spiritistps.org

Evanise M Zwirtes

 

(Informação recebida em email de Spiritist Psychological Society [spiritist.psychologicalsociety@virgin.net])

 

 

 

Palestra com Dr. Wantuil Rodrigues Araújo Filho no

C.E. Caminheiros do Bem. Nova Friburgo, RJ

 

((Informações recebidas em email de Giovana Campos)

 

 

 

Palestras programadas com Dr. Clayton Reis e Professor Osny Ramos

Curitiba, PR

 

1 - Dia 04 de abril de 2012 – 20h30 – 4a. feira - temos a palestra com o Prof. Clayton Reis – Decodificação da frase: Pai perdoai-os. Eles não sabem o que fazem.
Local: auditório da Comunhão Espírita Cristã de Curitiba
Rua Major Fabriciano do Rego Barros, 1152 – Vila Hauer (seguindo pela Rua Mal. Floriano sentido centro bairro depois de passar a BR 116  e o Shopping Cidade,
entrar a direita no Habib’s, 5a. quadra).
Fone de contato: (41)3262-2136
 
2 – Dia 11 de abril de 2012 - 20 horas – 4a. feira – no Centro Médico Homeopático Samuel Hahnemann
Rua Carlos Pioli, 751 – Bom Retiro - (passando o Hospital N.S.do Pilar)
Professor Osny Ramos – Tema: Física Quantica e Espiritualidade
 

(Informações recebidas em email de Giovana Campos)

 

 

 

Rádio Espírita Campinas completa 5 anos

Campinas, SP

 

www.radioespirita.com.br

 

 

A Rádio Espírita, uma emissora da ADE, Associação de Divulgadores do Espiritismo de Campinas, está completando 5 anos de funcionamento no dia 01/05/2012. Como parte das comemorações, durante o mês de maio o programa Opinião Espírita fará uma retrospectiva dos principais assuntos que foram tema de suas edições. Desde 2007, foram mais de 300 programas que abordaram as mais diferentes áreas do conhecimento humano, das artes às ciências, do cotidiano à filosofia, sempre tomando como base para as discussões a análise espírita das questões. Em abril, também por meio do Opinião Espírita, a Rádio deu início a série Espiritismo Simples, que tem por objetivo levar ao ar assuntos como: o que existe após a morte?; como funciona a reencarnação?; o que é a mediunidade?; os espíritos podem nos influenciar?; qual a proposta do Espiritismo? Atualmente, além do Opinião Espírita, a Rádio Espírita produz os programas Observatório Espírita, Galeria de Idéias, Conheça Kardec e Entrevistas, além de veicular outros programas por meio de parcerias. Para ouvir a Rádio, basta acessar a página www.radioespirita.org.br, na qual, além da programação "ao vivo", é possível também baixar os programas e ouvi-los em qualquer horário.

 

(Informação em emails de Dermeval Carinhana Junior [dcarinhana@gmail.com] e site da rádio e de Otavio Cunha)

 

 

 

Palestras programadas com o Orador Cassio Branco de Araujo

São Paulo, capital e região

 

(Informação em email de Cassio Branco de Araujo repassado por Otavio Cunha)

 

 

 

Programação comemorativa dos 21 anos da UCEAVE

Saquarema, RJ

 

UCEAVE - União Cristã Espírita Amor e Verdade

rua dos Funcionários, 1490 - Boqueirão - Saquarema - RJ - 28990-000

 

21 ANOS DE UCEAVE

A União Cristã Espírita Amor e Verdade

Comemora seu vigésimo primeiro aniversário no dia 17 de abril de 2012

MÊS DE ANIVERSÁRIO!!!

            ABRIL 2012      

    21 ANOS DA UCEAVE

 

 

PROGRAMAÇÃO

05 (5ª feira-20:00hs)  Abertura do mês Espírita

Tema: Paulo de Tarso–Suas Lutas Palestrante: Darcy Moreira–CEERJ/RJ

07 (sábado-17:00hs)

Tema: Livre                Palestrante: Paulo Almeida

12 (5ª feira-20:00hs)

Tema: Livre                Palestrante: Flávia Silveira

14 (sábado-17:00hs)

Tema: Estudando o Evangelho            Palestrante: Marcia Ruback

17 (3ª terça)  Atividade normal da Casa

DATA DE FUNDAÇÃO DA UCEAVE

19 (5ª feira-20:00hs)  Palestra Comemorativa

Tema: Há 21 anos caminha a UCEAVE Palestrante: João Carvalho

21 (sábado-17:00hs)

Tema: Livre                       Palestrante: Elza Salek

22 (domingo-12:30hs)     Almoço Festivo-UCEAVE-21ANOS

26 (5ª feira-20:00hs)

Tema: Perdão das ofensas      Palestrante: Sebastião Cadile

28 (sábado -09:00hs Estudo do Psiquismo;17:00hs Psicopictografia )

 

(Informação recebida em email de Neyde Cardoso Costa [neydecaco@yahoo.com.br])

 

 

 

 

Palestra sobre saúde e espiritualidade na UNIFESP

São Paulo, SP

 

 

(Informação recebida em email de Giovana Campos)

 

 

 

Palestra com José Maria de Medeiros Souza

Avaré, SP

 

 

CONVIDAMOS VOCÊ, FAMÍLIA E AMIGOS PARA

 

ASSISTIREM NO DIA 29 / 04 /2012, ÀS 19:30H (DOMINGO),

 

NA SEDE DA ASSOCIAÇÃO ESPÍRITA LEON DENIS, NA

 

RUA PREF. ARTHUR DE CARVALHO, 2.204 - VILA MARTINS

 

- AVARÉ - SP, PALESTRA COM O SR. JOSÉ MARIA DE

 

MEDEIROS SOUZA, DA CIDADE DE SÃO PAULO - SP.

 

TEMA: A FÉ COMO INSTRUMENTO DE CURA

 

(Informações recebidas em email de Eduardo Ramos [ramos.tucio@yahoo.com.br])

 

 

 

 

Palestra com Dr. José Henrique Rubim de Carvalho

Nova Friburgo, RJ

 

Dr. José Henrique Rubim de Carvalho

(Informação recebida em email de Giovana Campos)

 

 

 

Palestras espíritas programadas para a cidade de

Aracajú, SE

 

EXPERIÊNCIA DE QUASE MORTE

Dentro da programação do XIV Ciclo do Livro dos Espíritos, promoção da Federação Espirita de Sergipe, o Centro Espirita Casa da Fraternidade, contará na segunda-feira, 9, com palestra do Juiz Manoel Costa Neto(foto). Ele falará sobre “Experiência de Quase Morte”, mostrando num estudo realizado, o resultado de pesquisas científicas que quantificou casos em diversas partes do mundo, que permitem confirmar a imortalidade e a comunicação dos espíritos, assim como as similaridades entre os procedimentos de cada um e os cenários encontrados nas experiências. A palestra é aberta ao público, a partir das 20 horas, à rua Porto da folha, 1236, bairro Cirurgia, em Aracaju.

Juiz Dr.  Manoel Costa Neto

RESSURREIÇÃO E REENCARNAÇÃO

Na quinta-feira, 19, o Teólogo Carlos Rocha estará proferindo palestra no Centro Espírita Casa da Fraternidade. A partir das 20 horas ele falará sobre "Ressurreição e Reencarnação", enfocando aspectos polêmicos que ainda persistem envolvendo o tema, notadamente pela natural ligação que os variados segmentos religiosos fazem a cerca de Jesus, e que podem ser dirimidos pelo público presente, que terá acesso ao palestrante, através de perguntas. É importante sanar dúvidas e a oportunidade é essa através da lucidez do Teólogo Carlos Rocha, conhecido pela sua autenticidade e compromisso com a ciência da Teologia. A palestra é aberta ao público, à rua Porto da Folha, 1236, Bairro Cirurgia, em Aracaju.

A PACIÊNCIA

No dia 26, uma quinta-feira, a médium Betânia Costa Leite profere palestra no Centro Espírita Casa da Fraternidade. Falará, a partir das 20 horas, sobre A PACIÊNCIA, virtude que é diuturnamente exigida de todas as pessoas como instrumento de bem viver, e sobretudo de bem agir em relação ao próximo, particularmente quando o cotidiano na sociedade tem sido conflitante e marcado pelo stress. A palestra é aberta ao público que pode fazer perguntas à palestrante, à rua Porto da Folha, 1236, bairro Cirurgia, em Aracaju.

 

(Informações recebidas em email de Luduvice José Luduvice José [luduvicejose@gmail.com])

 

 

 

Palestra com Yasmin Madeira no CETJ

Cabo Frio, RJ

 

(Informação recebida em emails de Nelio Luzze e de Elizabeth da Silva Mansour [elizabethmansour1@hotmail.com])

 

 

 

Teatro: Comédia Espírita “Filhas do Sol”

Cabo Frio, RJ

 

 

(Foto recebida em emails de Nelio Luzze e de Elizabeth da Silva Mansour [elizabethmansour1@hotmail.com])

 

 

 

 

Cinema: E a vida continua...

Estréia em agosto de 2012

 

 

E a vida continua...

Fonte:

 

http://www.cinematranscendental.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=69&Itemid=17

 

Em Agosto de 2012, o público verá nos cinemas brasileiros uma história fascinante.

E a vida continua...

Filme adaptado do livro “E A VIDA CONTINUA”,
de André Luiz, psicografado por Chico Xavier.

Direção e Roteiro: Paulo Figueiredo
Produção:  Versátil Digital Filmes e VerOuvir Produções
Produtores: Oceano Vieira de Melo, Sonia Marsaiolli de Melo
e Paulo Figueiredo
Produtores Associados: FEB / VerOuvir / Versátil Digital Filmes
Distribuição Paris Filmes

Coordenação de Produção: Ricardo Parah
Gerência de Produção: Giselle Figueiredo
Produção de Elenco:Rosana Penna
Direção de Arte/Figurino: Liana Obata
Direção de fotografia: Tony Ciambra
Câmera:  Bruno Martins e Edson Audi  
Som direto:  Gustavo Goulart e Geraldo Ribeiro

Sinopse:

A transposição deste romance para a tela põe em destaque o que a obra original tem de mais expressivo em seu conteúdo. Converte a essência de cada trecho literário em cenas vivas, instigantes, de interesse humano inquestionável.
Levado por uma dessas tantas "coincidências" da vida, um homem de cinqüenta anos conhece, em circunstâncias dramáticas, uma jovem de vinte e cinco. Fugitivo de si mesmo, sobrevivente de uma tragédia pessoal que o tempo ensinou a esconder num bem-humorado sorriso, no mesmo instante se encanta por essa moça, que além da frustrada paixão pelo marido infiel nenhuma razão mais possui para  continuar vivendo.

Como náufragos à deriva, Ernesto e Evelina juntam forças e esperanças. Mas não só amores e desamores passados os tornam semelhantes. A questão da saúde comprometida pela mesma enfermidade grave, outra "coincidência", lança expectativas sombrias no futuro dos dois. Como investir numa tão promissora amizade que pode acabar sem glória e sem despedida no centro cirúrgico de um hospital? Instala-se a dúvida. E nos poucos dias que os separam de seus destinos curiosamente parecidos, o homem e a mulher que o "acaso" trouxe para um encontro preparam suas almas apostando na Vida mas com um olho na Morte.

No último minuto de proximidade na estância de repouso preparatório para as cirurgias, dizer o quê? Adeus? Até breve?

Na falta de resposta o silêncio foi melhor. Um sorriso e uma mão acenando disseram mais.

Como no Teatro, fechava-se a cortina ao final do Primeiro Ato. O Segundo seria num outro palco, numa nova dimensão, para uma outra platéia. Entenderiam os protagonistas, agora, que a Vida é uma peça de muitos Atos, porém sem fim.

E a Vida Continua...
Filme adaptado do livro “E A VIDA CONTINUA”,
de André Luiz, psicografado por Chico Xavier.

Atores principais do filme

AMANDA ACOSTA - Evelina Serpa
LUIZ BACCELLI - Ernesto Fantini
LIMA DUARTE - Instrutor Ribas
ANA ROSA – Lucinda
LUIZ CARLOS DE MORAES - Instrutor Cláudio
RUI REZENDE – Desidério dos Santos
LUIZ CARLOS FELIX – Caio Serpa
ANA LÚCIA TORRE - Brígida
CLAUDIA MELLO – Alzira
ARLETE MONTENEGRO - Sra. Tamburini
ROSANA PENNA – Elisa
RONALDO OLIVA -  Túlio Mancini
SAMANTHA CARACANTE – Vera Celina
CESAR PEZZUOLLI – Amâncio
CARLA FIORONI – Enfermeira Isa
PERSONAGENS DO UMBRAL - Guilherme Santana, Lucienne Cunha, Marco Antonelli e Débora Muniz, mais um grande elenco.

 

(Informações em email da Use Taubaté repassado por Regina Bachega e visita ao site)

 

 

 

 

Newsletter Correio Fraterno - nº 16 - 04 ABR 2012

News Correio Fraterno

 

 

| Edição 16 | 04 Abril de 2012 |

 

 

 

 

 

 

 

Entrevista

 

Vídeo

 

Lançamento

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Saiba mais:

 

 

 


> Acervo - Você sabe esperar?

> Acontece - Ser diferente é ser normal. As considerações sobre a Síndrome de Down.

> Edições anteriores - Veja o que já foi publicado no Correio Fraterno.

 

 

rodape

 

 

 

Parabéns, Chico Xavier

 

Artigo publicado originalmente no jornal

Folha da Região, Araçatuba, SP,    edição

do dia 4 de abril de 2012, página A2.

Osvaldo Magro Filho (Dinho) *

 

Na última segunda feira (2 de abril), Chico Xavier completaria 102 anos se não tivesse partido aos 92 anos, dia em que o Brasil comemorou seu pentacampeonato na Copa do Japão/Coréia do Sul. Ele dizia que deixar a Terra num dia em que o povo brasileiro estivesse feliz. E assim aconteceu!

Esse amor que ele sente pelas pessoas é tão forte quanto aquele descrito no refrão de uma música de Renato Russo: “é preciso amar as pessoas como se não houvesse o amanhã”....

Ele praticava isso naturalmente. Pelo menos não parecia sacrifício algum passar horas cumprimentando indivíduos em filas intermináveis no Centro Espírita Luiz Gonzaga, em Pedro Leopoldo, e depois,  no Centro Espírita Comunhão Espírita Cristã,  em Uberaba. Por sinal, Chico amava os chamados “invisíveis”.

Não, não estamos nos referindo aos espíritos.

Gilberto Dimenstein, no livro “O Mistério das Bolinhas de Gude”, abordou a invisibilidade. Segundo ele, ser invisível é não ser notado, é não pertencer a nenhuma tribo, é não se sentir ouvido mesmo após gritos desesperados de pedido de ajuda.

Ele defende este conceito de invisibilidade por meio de suas anotações jornalísticas relativas aos anos 1970,  quando se incomodou ao saber do silêncio das meninas virgens que eram leiloadas em prostíbulos no agreste brasileiro. Depois, ao visitar os anos 1980, ele  conheceu a solidão dos brasileiros que se mudaram para New York em busca de uma vida sem preconceitos, mas encontraram o isolamento e a saudade. E quando visitou a ‘cracolândia’, descobrindo que os meninos traficantes-viciados não posavam para fotografias para não serem "apagados", definitivamente, por um gatilho. Precisavam ficar invisíveis.

Eu digo que Chico Xavier tinha um profundo amor e compaixão pelos invisíveis da Terra e do além! Quando participei de algumas reuniões mediúnicas em Uberaba, na década de 1980, ouvia cochichos entre as pessoas que se acotovelavam: “Veja só com quem Chico está conversando; esta pessoa que recebeu a carta psicografada não merecia; ele está doando algo para aquele indivíduo que não precisa de ajuda”. Contudo, logo depois vinha uma explicação convincente e motivos de sobra pelos quais Chico devotava-se tão intensamente à causa de alguém que sofria.

Quando o filme “Chico Xavier” foi lançado por Daniel Filho, nas comemorações de 100 anos do médium, passamos por Pedro Leopoldo e conversamos com dirigentes do Centro Espírita Luiz Gonzaga. E perguntamos: “já faz tempo que Chico desencarnou e vocês continuam com as mesmas atividades: sopa aos necessitados, roupas doadas aos carentes, preces e reuniões de consolo aos depressivos que por aqui passam. Nada mudou depois que Chico se foi?”

A resposta veio imediata: “quando Chico deixou Pedro Leopoldo, ele fez constar em Ata do Conselho Deliberativo que se algum dia este Centro Espírita deixar de prestar socorro aos mais necessitados suas portas deverão ser trancadas,  e as chaves entregues à Federação Espírita Brasileira. E tem sido assim desde então. A casa está sempre cheia e procuramos ajudar todos que nos procuram”, prosseguiu a dirigente.

Não é de se estranhar a grande quantidade de simpatizantes que este homem possui. No Youtube,  Facebook, Twitter e nos e-mails recebemos diariamente frases escritas pelo médium mineiro. As que mais me impressionam são as que ele próprio assumiu autoria.

“Nunca passei um dia sem luta”.

“A paciência desarticula os mecanismos do mal”.

“Nem sempre os espíritos que nos protegem conseguem se antecipar aos perigos a que, pelo nosso livre arbítrio, nos expomos.”.

“Ninguém nos tenta. Nós somos tentados por nós mesmos.”

“Lágrima não substitui o suor; em mim nunca substituiu. Quando acabo de chorar, estou na mesma situação”.

“Como vamos ter paciência com as grandes coisas se não temos com as pequeninas?.”

E assim segue o Evangelho de Chico Amor Xavier. Parabéns, Chico, pelo seu aniversário!

Obrigado por nos inspirar até hoje, por nos mostrar um caminho, por conviver conosco neste País tão importante no contexto mundial, por escolher as pessoas como fonte de inspiração, por ter tanta compaixão, por amar os visíveis e invisíveis, por...

 

* Osvaldo  Magro  Filho é    voluntário na ONG

Dentista  do  Bem e  na   Instituição Nosso Lar,

em   Araçatuba.  Descreve  esta   Face  Espírita

para publicação exclusiva na Folha da Região.

 

Francisco Cândido Xavier. Arquivo de Osvaldo Magro Filho

Chico Xavier psicografando. Arquivo de Osvaldo Magro Filho

 

 

 

Nota: Todas as notícias deste e de emails anteriores estão postadas no blog: http://ismaelgobbo.blogspot.com

 

 

 

Em absoluto respeito à sua privacidade, caso não mais queira receber este boletim de notícias do movimento espírita, envie-nos um email solicitando a exclusão do seu endereço eletrônico de nossa lista. Nosso endereço: igobi@uol.com.br

 

 

 

Editoração e envio:

Ismael Gobbo, Araçatuba, SP

Gislaine Pascoal Yokomizo e Leonardo Yokomizo, Jacareí, SP