Notícias do Movimento Espírita

São Paulo, SP, quarta-feira, 03 de dezembro de 2014

Compiladas por Ismael Gobbo

Agradecemos àqueles que gentilmente repassam este email

Parcerias

 

 

http://ismaelgobbo.blogspot.com.br/          http://www.redeamigoespirita.com.br/

 

 

Nota 1

Recomendamos confirmar junto aos organizadores os eventos aqui divulgados. Podem ocorrer cancelamentos ou mudanças que nem sempre chegam ao nosso conhecimento.

 

Nota 2

Este email é uma forma alternativa de divulgação de noticias, eventos, entrevistas e artigos espíritas. Recebemos as informações de fontes  diversas e fazemos o repasse aos destinatários de nossa lista de contatos. Trabalhamos com a expectativa de que as informações que nos chegam sejam absolutamente espíritas na forma como preconiza o codificador do Espiritismo, Allan Kardec.  Pedimos aos nossos diletos colaboradores que façam uma análise criteriosa e só nos remetam para divulgação matérias genuinamente espíritas.  O trabalho é totalmente gratuito e conta com ajuda de colaboradores voluntários (Ismael Gobbo)

 

 

Atenção

Se você tiver dificuldades em abrir o arquivo, recebê-lo incompleto ou cortado e fotos que não abrem, clique aqui:

http://www.noticiasespiritas.com.br/2014/DEZEMBRO/03-12-2014.htm 

 

No Blog onde  é  postado diariamente:

http://ismaelgobbo.blogspot.com.br/

 

Ou no Facebook

https://www.facebook.com/ismael.gobbo.1

 

 

 

NOTA SOBRE O ENVIO DESTE BOLETIM

 

ESTAMOS PRESTES A RESTABELECER O ENVIO DE EMAILS COM TODO CONTEÚDO DO BOLETIM DE NOTICIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA ESTAMPADO NO PRÓPRIO CORPO DO EMAIL NA FORMA COMO SEMPRE FIZEMOS. ULTIMAMENTE PASSAMOS POR PROBLEMAS TÉCNICOS DE VÁRIAS ORDENS QUE DE CERTA FORMA PREJUDICARAM O BOM ANDAMENTO DOS  NOSSOS TRABALHOS.  ISMAEL  GOBBO 

 

 

OS ULTIMOS 5 EMAILS ENVIADOS:

 

DATA                                        ACESSE CLICANDO NO LINK:

 

02-12-2014     http://www.noticiasespiritas.com.br/2014/DEZEMBRO/02-12-2014.htm

01-12-2014     http://www.noticiasespiritas.com.br/2014/DEZEMBRO/01-12-2014.htm

29-11-2014     http://www.noticiasespiritas.com.br/2014/NOVEMBRO/29-11-2014.htm

28-11-2014     http://www.noticiasespiritas.com.br/2014/NOVEMBRO/28-11-2014.htm

27-11-2014     http://www.noticiasespiritas.com.br/2014/NOVEMBRO/27-11-2014.htm

 

 

 

O Evangelho Segundo o Espiritismo- Cap. VIII, 18-19

Bem-aventurados os que têm puro o coração

 

 

Instruções dos Espíritos

 

Deixai que venham a mim as criancinhas

 

     18. Disse o Cristo: “Deixai que venham a mim as criancinhas.” Profundas em sua simplicidade, essas palavras não continham um simples chamamento dirigido às crianças, mas também o das almas que gravitam nas regiões inferiores, onde o infortúnio desconhece a esperança. Jesus chamava a si a infância intelectual da criatura formada: os fracos, os escravizados e os viciosos. Ele nada podia ensinar à infância física, presa à matéria, submetida ao jugo do instinto, ainda não incluída na categoria superior da razão e da vontade que se exercem em torno dela e por ela.

     Queria que os homens a Ele fossem com a confiança daqueles entezinhos de passos vacilantes, cujo chamamento conquistava, para o seu, o coração das mulheres, que são todas mães. Submetia assim as almas à sua terna e misteriosa autoridade. Ele foi o facho que ilumina as trevas, a claridade matinal que toca a despertar; foi o iniciador do Espiritismo, que a seu turno atrairá para Ele, não as criancinhas, mas os homens de boa vontade. Está empenhada a ação viril; já não se trata de crer instintivamente, nem de obedecer maquinalmente; é preciso que o homem siga a lei inteligente que se lhe revela na sua universalidade.

     Meus bem-amados, são chegados os tempos em que, explicados, os erros se tornarão verdades. Ensinar-vos-emos o sentido exato das parábolas e vos mostraremos a forte correlação que existe entre o que foi e o que é. Digo-vos, em verdade: a manifestação espírita avulta no horizonte, e aqui está o seu enviado, que vai resplandecer como o Sol no cume dos montes. – João Evangelista. (Paris, 1863.)

     19. Deixai venham a mim as criancinhas, pois tenho o leite que fortalece os fracos. Deixai venham a mim todos os que, tímidos e débeis, necessitam de amparo e consolação. Deixai venham a mim os ignorantes, para que eu os esclareça. Deixai venham a mim todos os que sofrem, a multidão dos aflitos e dos infortunados: Eu lhes ensinarei o grande remédio que suaviza os males da vida e lhes revelarei o segredo da cura de suas feridas! Qual é, meus amigos, esse bálsamo soberano, que possui tão grande virtude, que se aplica a todas as chagas do coração e as cicatriza? É o amor, é a caridade! Se possuís esse fogo divino, que é o que podereis temer? Direis a todos os instantes de vossa vida: “Meu Pai, que a tua vontade se

faça e não a minha; se te apraz experimentar-me pela dor e pelas tribulações, bendito sejas, porquanto é para meu bem, eu o sei, que a tua mão sobre mim se abate. Se é do teu agrado, Senhor, ter piedade da tua criatura fraca, dar-lhe ao coração as alegrias sãs, bendito sejas ainda. Mas faze que o amor divino não lhe fique amodorrado na alma, que incessantemente faça subir aos teus pés o testemunho do seu reconhecimento!”

     Se tendes amor, possuís tudo o que há de desejável na Terra, possuís preciosíssima pérola, que nem os acontecimentos, nem as maldades dos que vos odeiem e persigam poderão arrebatar. Se tendes amor, tereis colocado o vosso tesouro lá onde os vermes e a ferrugem não o podem atacar e vereis apagar-se da vossa alma tudo o que seja capaz de lhe conspurcar a

pureza; sentireis diminuir dia a dia o peso da matéria e, qual pássaro que adeja nos ares e já não se lembra da Terra, subireis continuamente, subireis sempre, até que vossa alma, inebriada, se farte do seu elemento de vida no seio do Senhor. – Um Espírito protetor. (Bordeaux, 1861.)

 

 (O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec, FEB.  Texto copiado do site Febnet e da obra citada)

 

João de Patmos por Alonso Cano, 1640.

Imagem:  http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Jo%C3%A3o_Evangelista

Acesso em 01/12/2014, ás 21 hs

 

 

Um Natal decente

 

Richard Simonetti    [email protected]

 

            Dizia um confrade:

            – Não sinto prazer em festejar o Natal nas tradicionais reuniões familiares, mesa farta, tendo consciência de que há na periferia milhares de irmãos nossos passando fome.

            E só conseguia tranquilizar a consciência depois de realizar ampla campanha, arrecadando recursos para distribuir dezenas de cestas básicas na periferia. Pelo menos as famílias carentes que viesse a beneficiar teriam, segundo sua expressão, um Natal decente.

            Se levássemos essa concepção às últimas consequências, teríamos que optar por uma, dentre duas situações extremas:

             Jejum coletivo. Ninguém festejaria o Natal com comes e bebes.  Se não é possível mesa farta a todos, que ninguém a desfrute.

            Abençoado dividir o pão. A nenhuma família carente faltaria a cesta básica de Natal, sob a égide da solidariedade.

Na atual conjuntura, neste Mundo orientado pelo egoísmo e o apego à posse, nenhuma dessas possibilidades será observada em plenitude. Raros renunciariam ao repasto natalino. Raros trabalhariam por estendê-lo a todos.

Bem, leitor amigo, que tal se cogitássemos de uma situação intermediária, como faz o nosso confrade? Se não podemos beneficiar todas as famílias carentes, por que não atender o maior número possível, somando esforços e recursos?

Há uma excelente iniciativa nesse particular: a Campanha da Cesta Básica do Natal.

A fórmula é simplíssima e pode ser aplicada por qualquer instituição interessada em estimular o Natal Decente. Efetua-se um levantamento de preços para a composição da cesta, envolvendo gêneros de primeira necessidade e artigos natalinos como o infalível panetone e as uvas-passas.

Fixado o valor, inicia-se a arrecadação no início de dezembro. É aberta uma lista de doações e solicita-se algo muito especial aos participantes: que não sejam meros contribuintes, mas multiplicadores.

Que se empenhem em sensibilizar amigos, familiares, colegas de trabalho e vizinhos, convidando-os a colaborar.  Cartazes são afixados em local apropriado, no Centro, e folhetos são distribuídos. Os palestrantes contam histórias edificantes que enfatizam o significado do Natal, como um apelo à solidariedade.

Destaque para o aniversariante, que renunciou às paragens celestiais e mergulhou na carne para nos ensinar a alegria de servir.

Na segunda quinzena de dezembro, após a apuração dos resultados, centenas de cestas serão distribuídas pelos próprios voluntários.

Como pode observar, amigo leitor, a iniciativa não exige nenhuma sofisticação e tem a vantagem de ser disparada no final do ano. É um período mágico. A manjedoura sensibiliza os corações para o exercício da fraternidade.

 A Campanha da Cesta Básica do Natal pede apenas o que exaltam os anjos, na proclamação celeste: Glória a Deus nas alturas, paz na Terra aos homens de boa vontade.

Com boa vontade haveremos de realizar nossa ceia e confraternizar com os familiares, guardando a tranquilidade em nossos corações.

É aquela boa paz que nos felicita quando cumprimos nosso dever como cristãos, proporcionando aos irmãos em penúria algo do que pretendemos para nós, a começar pela bênção de um Natal Decente.

 

                       Recado ao dirigente espírita:

 

            Institua a Campanha da Cesta Básica de Natal, incluindo-a no calendário do Centro.

            Enfatize aos frequentadores a importância de contribuir em favor de um Natal decente para nossos irmãos carentes.

            Centro Espírita que comemora o Natal sem exercício de solidariedade está esquecido do que o aniversariante veio ensinar.

 

 

 

 

 

Cestas básicas de Natal. Foto Ismael Gobbo

 

 

 

Registro. Divaldo Pereira Franco em

Madri, Espanha

 

29 de  novembro de 2014

 

Em mais um ciclo de atividades espíritas, Divaldo Franco se encontra na Espanha semeando as mensagens cristãs do amor, da fraternidade, da esperança. Em Madri, no dia 29 de novembro de 2014, como faz anualmente, o incansável divulgador da Doutrina Espírita proferiu a conferência A Vida em Plenitude, nas dependências do confortável Hotel Tryp Ambassador. Nem mesmo o tempo chuvoso impediu que quase duzentas pessoas lotassem o ambiente, desejosas de escutar o conferencista renomado. 

O evento teve início às 19h00min com um mini concerto protagonizado por um quarteto de cordas. Logo após, o brilhante orador formulou convite para uma reflexão sobre a grave questão pertinente ao significado da vida utilizando-se de uma fascinante narrativa histórica, ao longo de séculos, quando apresentou os fatos que causaram o rompimento entre religião e ciência. 

Com sua vibrante narrativa, Divaldo transportou o público de volta ao tempo de então, até o Século XX, quando duas visões conflitantes começaram a abordar, através de descobertas científicas, cogitando sobre a existência de Deus, bem como a valiosa colaboração do Espiritismo. Citando a Dra. Elisabeth Lukas, uma das mais famosas sucessoras de Viktor Frankl, enfatizou a importância de se reservar alguns momentos de nossas vidas à transcendência divina.  

Divaldo Franco, lembrou ainda, que Jesus ensinou que aquele que ama é feliz, e que o amor é o verdadeiro significado da vida. Concluindo a conferência, e emocionando os presentes, narrou parte dos exemplos deixado por Nilson de Souza Pereira -Tio Nilson-, que viveu em plenitude, amando verdadeiramente, dedicando toda a sua vida estendendo suas mãos ao próximo.  

De Madri, acompanhado de uma pequena comitiva, Divaldo viajou para a Tunísia, onde dará continuidade à esse périplo doutrinário.

 

           Texto em Espanhol de Jane Nixon.

           Texto em Português de Paulo Salerno.

           Fotos de Manuel Cemyd

 

 

 

Palestra com Clayton Levi no Seara Espírita “Joanna de Angelis”

Campinas, SP

 

 

(Informações recebidas em email de SEJA-Divulgação [[email protected]])

 

 

Sarau na Associação Filantrópica “Caminho da Luz”

Assis, SP 

 

 

Imagem inline 1

 

 

(Informação recebida em email de Francisco Atilio Arcoleze [[email protected]])

 

 

Programação de palestras no CEPAT

Niterói, RJ

 

 

PALESTRAS DE DEZEMBRO

PALESTRANTES:

 

01 – THELMA DE BARROS LOPES – G.E.FRANCISCO DE ASSIS

03 – RAUL MUNIZ – UMEN

08 – JOSÉ FRANKLIN DOS SANTOS – C.E. PAULO DE TARSO – CEPAT

10 – FÁBIO MEIRELLES – G.E. DA FÉ

15 – SÁVIO DE SOUZA MOREIRA – C.E. PAULO DE TARSO – CEPAT

17 – SÁVIO DE SOUZA MOREIRA – C.E. PAULO DE TARSO – CEPAT  

 

 AS PALESTRAS SÃO REALIZADAS AS 20 h

RUA MARTINS TORRES, 46 – SANTA ROSA – NITERÓI.

 

FELIZ 2015

 

 

 

 

Programação do C.E. Discípulos de Jesus

Penápolis, SP

 

 

 

(Informação recebida em emails de Maria José de Almeida e de Regina Bachega)

 

 

Empório de Natal.  C.E. Vicente de Paulo.

Macaé, RJ

 

 

(Informação recebida em email de Renê Magalhães [r[email protected]])

 

 

Campanha de Natal do “Semeadura de Jesus”

Guarulhos, SP

 

Olá, Amigos!

Mais um ano que chega ao fim... 

Como todos os anos, vamos realizar uma ação social que tem como objetivo:

Fazer o Natal de famílias e principalmente de

CRIANÇAS carentes, MAIS FELIZ!!

NO DIA 21/12/2014 (Domingo)

Faremos a Festa com a entrega dos presentes de Natal para as crianças carentes, moradoras das

Favelas do Quinze, de Cumbica , Água Azul e São João

Local: Teatro Adamastor

Av. Monteiro Lobato, 734

Macedo - Guarulhos - SP

Horário: 14:00 às 17:00 horas

Todos estão convidados a participar!

 

Para que alcancemos o objetivo proposto conto

com a ajuda de todos!

Precisamos de PADRINHOS e MADRINHAS,

pessoas que se comprometam a comprar os

presentes de natal para as Crianças,

esse presente é composto de:

 

Uma roupa, um calçado, um brinquedo e uma

caixa de bombons.

 

Vocês não imaginam a alegria que proporcionarão

a essas crianças!

Às vezes, um pequeno sacrifício nosso,

seja financeiro ou de tempo, faz toda a Diferença

para aqueles que têm muito pouco!

 

Respondam a esse e-mail, dizendo querer

colaborar que eu mando o nome da(s)

criança(s) beneficiada(s), sua idade, os

tamanhos da roupa e do calçado e os

locais de entrega do(s) presente(s).

 

Lembrem-se que é uma OPORTUNIDADE para

fazermos algo de bom pelo próximo, mas é

também uma grande RESPONSABILIDADE,

pois as crianças estarão esperando e contam

conosco!!!

 

Mobilizem amigos e familiares, são

650 crianças!!!!

 

AINDA FALTAM CERCA DE 100 CRIANÇAS

 

Os presentes deverão ser entregues até o dia: 13/12/2014.

 

Conto com vocês

Grande Abraço

Edson

Centro Espírita Lar Escola Semeadura de Jesus

Rua Alexandre de Oliveira Calmon, 192

Guarulhos (SP)

(Informação recebida em email de Edson Hamazaki) 

 

 

Programação de palestras com a oradora Deusa Samú

Dezembro/2014

 

 

(Informação recebida em email de Beto [[email protected]])

 

 

Inaugurada nova ala do Instituto Espírita Batuíra 

de Saúde Mental. Goiânia, GO

 

Saudações, tudo bem?

 

Obrigado a você, seus diretores e ao seu veículo de comunicação pelas

constantes ajudas divulgando as necessidades do Batuíra.

 

Em anexo, a nova ala, liberada hoje, dia 1º, que vai atender 33

pacientes carentes que sofrem de transtorno mental.

 

Que Jesus os abençoe sempre.

 

Muita Paz, Luz e Saúde.

 

Fraternal abraço,

 

Sérgio

 

(Informação recebida em email de [email protected])

 

Visite a home page: http://www.batuira.org.br/

 

 

 

Bazar de Natal do CESFA

Rio de Janeiro, RJ

 

No próximo dia 06/12, sábado a partir das 15:00 h, o CESFA promoverá o tradicional Bazar de Natal, com artigos novos e usados para você presentear com qualidade e com um precinho bem camarada. No intervalo das compras nossa cantina estará aberta para um delicioso lanche.

Venham participar e nos ajudar a manter nossa casa.

Um Feliz Natal para todos!

Abraços Fraternos,

 

--

CESFA - Centro Espírita São Francisco de Assis
Aberto aos domingos, segundas, e sextas.
Rua Pinheiro Guimarães, nº 64 - Botafogo
Rio de Janeiro | RJ - CEP 22281-080
Tel. 3561-5517

 

(Informação em email de Centro Espírita São Francisco de Assis CESFA <[email protected]> repassado por Renê Magalhães [[email protected]])

 

 

Pizza Beneficente em prol da Casa do Caminho

Guaxupé, MG

 

 

(Informação recebida em email de Fabiana Pacheco [[email protected]])

 

 

Mágoa

 

Síndrome alarmante, de desequilibro, a presença da mágoa faculta a fixação de graves enfermidades físicas e psíquicas no organismo de quem a agasalha.
A mágoa pode ser comparada à ferrugem perniciosa que destrói o metal em que se origina.
Normalmente se instala nos redutos do amor-próprio ferido e paulatinamente se desdobra em seguro processo enfermiço, que termina por vitimar o hospedeiro.
De fácil combate, no início, pode ser expulsa mediante a oração singela e nobre, possuindo, todavia, o recurso de, em habitando os tecidos delicados do sentimento, desdobrar-se em modalidades várias, para sorrateiramente apossar-se de todos os departamentos da emotividade, engendrando cânceres morais irreversíveis. Ao seu lado, instala-se, quase sempre, a aversão, que estimulam o ódio, etapa grave do processo destrutivo.
A mágoa, não obstante desgovernar aquele que a vitaliza, emite verdadeiros dardos morbíficos que atingem outras vítimas incautas, aquelas que se fizeram as causadoras conscientes ou não do seu nascimento.
Borra sórdida, entorpece os canais por onde transita a esperança, impedindo-lhe o ministério consolador.
Hábil, disfarça-se, utilizando-se de argumentos bem urdidos para negar-se ao perdão ou fugir ao dever do esquecimento. Muitas distonias orgânicas são o resultado do veneno da mágoa, que, gerando altas cargas tóxicas sobre a maquinaria mental, produz desequilíbrio no mecanismo psíquico com lamentáveis consequências nos aparelhos circulatório, digestivo, nervoso...
O homem é, sem dúvida, o que vitaliza pelo pensamento. Sua ideias, suas aspirações constituem o campo vibratório no qual transita e em cujas fontes se nutrem.
Estiolando os ideais e espalhando infundadas suspeitas, a mágoa consegue isolar o ressentido, impossibilitando a cooperação dos socorros externos, procedentes de outras pessoas.
Caça implacavelmente esses agentes inferiores, que conspiram contra a tua paz. O teu ofensor merece tua compaixão, nunca o teu revide.
Aquele que te persegue sofre desequilíbrios que ignoras e não é justo que te afundes, com ele, no fosso da sua animosidade.
Seja qual for a dificuldade que te impulsione à mágoa, reage, mediante a renovação de propósitos, não valorizando ofensas nem considerando ofensores.
Através do cultivo de pensamentos salutares, pairarás acima das viciações mentais que agasalham esses miasmas mortíferos que, infelizmente, se alastram pela Terra de hoje, pestilenciais, danosos, aniquiladores.
Incontáveis problemas que culminam em tragédias quotidianas são decorrência da mágoa, que virulenta se firmou, gerando o nefando comércio do sofrimento desnecessário.
Se já registras a modulação da fé raciocinada nos programas da renovação interior, apura aspirações e não te aflijas. Instado às paisagens inferiores, ascende na direção do bem. Malsinado pela incompreensão, desculpa. Ferido nos melhores brios, perdoa.
Se meditares na transitoriedade do mal e na perenidade do bem, não terás outra opção, além daquela: amar e amar sempre, impedindo que a mágoa estabeleça nas fronteiras da tua vida as balizas da sua província infeliz.
"Quando estiveres orando, se tiverdes alguma coisa contra alguém, perdoai-lhe, para que vosso Pai que está nos Céus, vos perdoe as vossas ofensas". - Marcos: 11-25.
"Não sou feliz! A felicidade não foi feita para mim! exclama geralmente o homem em todas as posições sociais. Isto, meus caros filhos, prova melhor do que todos os raciocínios possíveis, a verdade desta máxima do Eclesiastes: "A felicidade não é deste mundo". - ESE Cap.V - Item 20.

Da irmã Joanna de Ângelis, atraves do irmão Divaldo P. Franco, do livro Florações Evangélicas

 

 (Texto recebido em email de Andre Gadelha [[email protected]])

Oração no horto. Andrea Mantegna

Imagem fonte: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Andrea_Mantegna_022.jpg

Acesso em 02/12/2014.

 

 

Nas hesitações de Pedro

 

Pelo Espírito Irmão X (Humberto de Campos). Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Livro: Luz Acima. Lição nº 36. Página 155.

 

Logo depois de se estabelecerem os apóstolos em Jerusalém, em seguida às revelações do Pentecostes, ia o serviço de assistência social maravilhosamente organizado, não obstante as perseguições que se esboçavam, quando a casa acolhedora, dirigida por Simão Pedro, foi procurada por infeliz mulher. Trazia consigo todos os estigmas das pecadoras. Fora lapidada e exibia manchas sanguinolentas na roupa em frangalhos. Pronunciava palavras torpes. Revelava-se semilouca e doente.

As senhoras do reduto cristão retraíram-se, alarmadas. E o próprio Pedro, que recebera preciosas lições do Senhor, vacilou quanto à atitude que lhe seria adequada.

Como haver-se nas circunstâncias? Destinava-se aquele abrigo ao recolhimento de criaturas desventuradas; entretanto, como classificar a triste posição daquela mulher que, naturalmente, buscara o vaso da angústia nos excessivos gozos da vida? Não estaria a sofredora resgatando os próprios débitos? Se bebera com loucura na taça dos prazeres, não lhe caberia o fel da aflição?

Dispunha-se a rogar-lhe que se afastasse do asilo, quando recordou a necessidade de orar. Se o caso era omisso nas disposições que regiam o instituto fraterno, tornava-se imperioso consultar a inspiração do Messias.

O Mestre lhe ditaria o recurso.  Buscar-lhe-ia, por isso, o conselho na prece ardente.

Enquanto a infortunada aguardava resposta, sob o apupo de pequena multidão que lhe contemplava as feridas, o apóstolo buscou a solidão do santuário doméstico e exorou a proteção do Divino Amigo, que fora crucificado.

Em breves instantes, viu Jesus, nimbado de claridade resplandecente, não longe de suas mãos, que se estenderam suplicantes.

- Mestre - rogou Pedro, atacando diretamente o assunto, como quem sabia da brevidade daqueles momentos inesquecíveis -, temos à entrada uma pecadora, reconhecidamente entregue ao mal!  Ajuda-me, inspira-me!... que farei?!...

O Salvador entreabriu os lábios sublimes e falou:

- Pedro, eu não vim curar os sãos...

O discípulo entendeu a referência, mas, ponderando a grave responsabilidade de quem administra, acentuou:

- Senhor, estamos agora sem tua orientação direta e visível. Recebê-la-emos neste lar, para quê? A fim de julgá-la?

Com o mesmo olhar sereno, Jesus replicou:

- Nesse mister permanecem na Terra numerosos juízes.

- Para fazer-lhe sentir a extensão dos erros? - indagou Simão Pedro, em lágrimas.

- Não, Pedro - tornou o Mestre -, para dar-lhe conhecimento da penúria em que vive, conta nossa irmã, nas vias públicas, milhares de bocas que amaldiçoam e outras tantas mãos que apedrejam.

- Para conferir-lhe a noção do padecimento em que se mergulhou por si mesma?

- Também não. Em tarefa ingrata como essa, vivem aqueles que a exploram, dando-lhe fome e sede, pranto e aflição...

- Para dizer-lhe das penas que a esperam neste e no “outro mundo”?

- Ainda não. Nesse labor terrível respiram os espíritos acusadores, que não hesitam na condenação em nome do Pai, olvidando as próprias faltas...

O ex-pescador de Cafarnaum, então chorou, súplice, porque no íntimo desejava conformar-se com os ditames da justiça, exemplificando, simultaneamente, com o amor que o Cristo lhe havia legado. Arquejava, soluçante, ignorando como prosseguir nas indagações, mas Jesus dele se acercou, iluminado e benevolente... Enxugou-lhe as lágrimas que corriam abundantes e esclareceu:

- Pedro, para ferir e amaldiçoar, sentenciar e punir, a cidade e o campo estão cheios de maus servidores. Nosso ministério ultrapassa a própria justiça. O Evangelho, para ser realizado, reclama o concurso de quem ampara e educa, edifica e salva, consola e renuncia, ama e perdoa...  Abre acesso à nossa irmã transviada e auxilia-a no reerguimento. Não a precipites em despenhadeiros mais fundos... Arranca-a da morte e traze-a para a vida... Não te esqueças de que somos portadores da Boa Nova da Salvação!...   

Logo após, entrou em silêncio, diluindo-se-lhe a figura irradiante na claridade evanescente da hora vespertina...

O apóstolo levantou-se, deu alguns passos, atravessou extensa fileira de irmãos espantados, abriu, de manso, a porta e dirigiu-se à mulher, acolhedor:

- Entre, a casa é sua!

- Quem sois? - interrogou a infeliz, assombrada.

- Eu? - falou Simão Pedro, com os olhos empapuçados de chorar.

E concluiu:

- Sou seu irmão.

 

(Texto recebido em email do divulgador Antonio Sávio, de Belo Horizonte, MG)

São Pedro. Quadro de  Annibale Carraci. Museu Nacional de Arte da Catalunha.

 Barcelona, Espanha. Foto Ismael Gobbo

 

 

Editoração: Ismael Gobbo, São Paulo,  SP.

Envio: Ismael Gobbo, SP, e, Wilson Carvalho Júnior, Araçatuba, SP

 

 

Em absoluto respeito à sua privacidade, caso não mais queira receber este boletim de notícias do movimento espírita, envie-nos um email solicitando a exclusão do seu endereço eletrônico de nossa lista. Nosso endereço: [email protected]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

-